A Associação Luzlinar, constituída em 2004, é uma instituição cultural sem fins lucrativos, com sede no Feital (Trancoso), tendo como propósito a promoção e divulgação das artes plásticas e performativas, desenvolver projectos no âmbito da arte experimental, colaborar com instituições que persigam os mesmos fins, criar espaços e formas de cooperação interinstitucional e contribuir para o estudo e divulgação do património cultural local e regional. A sua criação surge da necessidade de dar continuidade ao trabalho que a escultora Maria Lino vinha desenvolvendo desde 1995, com realização do primeiro Simpósio Internacional de Artes do Feital (SIAF).

Desde então e apenas com apoios pontuais da Fundação Gulbenkian, da Direcção Regional da Cultura e do Município de Trancoso, desenvolveu um trabalho continuado de criação e promoção das artes plásticas e performativas, com particular destaque para a realização das várias edições do SIAF, Festivais e Laboratórios de Criação Colectiva, para além de inúmeras oficinas de expressão artística e edições em diferentes suportes.

Desde 2009, com apoios mais regulares dos Municípios de Trancoso e do Fundão e também financiamento atribuído pela DGArtes, no quadro do programa de Apoio às Artes, foi possível projectar e desenvolver um plano de actividades consistente e regular, cujo principal objectivo consiste em estabelecer uma ligação efectiva entre a comunidade, a escola e a universidade, num programa que passa fundamentalmente por projectos com artistas em residência, por um projecto educativo, por parcerias de âmbito regional e nacional, por projectos envolvendo as componentes de documentação e investigação, mas também exposições, encontros, conferências e edições.

A concretização deste programa permitiu a participação de docentes e discentes de 4 universidades, implementar o projecto educativo que envolveu a maior parte das crianças do concelho de Trancoso, bem como parcerias com entidades tão diversas como o Museu dos Lanifícios (UBI), Parque Arqueológico do V. do Côa, Teatro Municipal da Guarda ou Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (UNL), o Departamento de Comunicação e Artes da Universidade da Beira Interior, a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Mart- Colectivo de Artistas, DTK – Det Tverrfaglige Kunstinstitutt (Noruega), entre outros.

Neste contexto, para além das Edições do Simpósio Internacional de Arte do Feital, destacamos a residência de artes plásticas Materializar o Vazio, que deu origem à exposição Pedra Corpo, inaugurada no âmbito das Jornadas Europeias do Património – Património e Arte Contemporânea, a convite da Direcção Regional da Cultura, onde foi reconhecida unanimemente a importância deste projecto cultural.

Em 2010, iniciámos um ciclo de seminários internacionais designados por Encontros Cinematográficos por onde já passaram mais de setenta cineastas, críticos e teóricos dos quatro continentes. Em 2014, lançámos um novo projecto operacional – Projecto Pontes – apoiado pela Direcção Geral das Artes/ Ministério da Cultura e os municípios do Fundão e Trancoso, desenvolvendo projectos na beira interior, designadamente no eixo Fundão – Trancoso, onde promove inúmeras actividades estruturantes. No primeiro ano de activiadade envolveu 92 actividades especificas em que participaram 2.295 pessoas, das quais 926 crianças e jovens.

Em 2016, iniciámos um novo projecto – Campus Jardim das Pedras – situado na Serra do Feital, no concelho de Trancoso onde pretendemos desenvolver e concentrar uma parte significativa das actividades.

É este o caminho que pretendemos continuar…